quinta-feira, agosto 26, 2004

Medo de dormir

Medo de dormir
Embebedando-se de pensamentos sem lógica alguma,
Até não ver e ouvir nada...
Quem estará olhando (orando) para mim?

Teorias e fantasias excretadas,
Fétidas!
Podres de tão mal cultivadas nas entranhas de um qualquer
"Isso é meu!"

Não adianta chorar,
Não adianta gritar,
Não adiantar sangrar.
Choro,
Grito,
Sangro.
"Nada aconteceu, meu bem!"

Escondo-me atrás daquela porta:
Ninguém vê
Eu não me vejo.
E me perco ali...
Naquela rua.

1 Comments:

Blogger Fabiana said...

Quem diria! Sou amiga de uma poetisa! Que máximo!

3:39 PM  

Postar um comentário

<< Home